Serviços

A PROTECTA tem o maior compromisso com seus clientes no sentido de assegurar que os seus produtos estejam livres de pragas e resíduos tóxicos, reduzindo os riscos de seus funcionários e consumidores.

Pensando nisto, a PROTECTA adotou como filosofia de trabalho o programa CIP – Controle Integrado de Pragas, voltado a atender as necessidades de seus clientes passando a realizar um gerenciamento no controle de Pragas.

O programa CIP tem como meta reduzir o risco de infestaçãto por pragas (insetos, aracnídeos, roedores, pássaros, etc.) e ao mesmo tempo minimizar o uso de praguicidas, através da adoção de medidas preventivas. Visto como um programa de melhoria contínua, seus métodos aplicados na prevenção de pragas são também importantes elementos de programas de BPF – Boas Práticas de Fabricação e APPCC – Analises de Perigos e Pontos Críticos de Controle, para a prevenção de contaminação microbiológica e de materiais estranhos, além de orientar sobre medidas e princípios sanitários, limpeza, organização e exclusão para prevenir atrativos, abrigo e acesso às pragas as áreas internas de processo ou armazenamento.

Metodologias e Estratégias de Controle

Monitoramento
São inspeções que ocorrem periodicamente, podendo ser semanal, quinzenal ou mensal, dependendo do contrato com cada cliente .O monitoramento visa avaliar a eficiência das medidas sanitárias, barreiras e demais métodos de controle, sendo utilizada como subsídios para a tomada de ações. São nestas inspeções que os profissionais da PROTECTA, irão descobrir pontos de ocorrências de pragas, falhas de barreiras físicas, deficiência de BPF, etc. Dessa forma não mais se irão realizar trabalhos gerais, mas sim em pontos determinados, passando dessa forma a realizar o programa CIP, já que o objetivo é realizar pequenos tratamentos focais e principalmente buscar informações para futuros tratamentos. No monitoramento são utilizadas também armadilhas como instrumentos para indicar a presença de pragas na seção onde estão instaladas. Podem ter como fonte atrativa luminosidade, feromonios ou compostos alimentares.

Desintetização (Tratamentos Químicos)
São trabalhos voltados à aplicação de inseticidas em setores onde se observa tal necessidade. Dentro dos procedimentos de Controle Integrado de Pragas, não existe a obrigatoriedade de aplicação mensal de inseticidas em todos os setores. A PROTECTA dispõe de equipamentos modernos, adotando a metodologia mais adequada para cada situação, desta forma tem-se: pulverização, atomização, termonebulização, polvilhamento e aplicação de iscas gel.

Desratização – Controle de Roedores
O programa de controle de roedores deve ser visto como uma estratégia de múltiplos estágios. Obviamente, a remoção de pontos de abrigo e atrativos é o primeiro passo. O segundo passo é assegurar que todos os princípios de exclusão estão sendo mantidos. O próximo é o controle perimetral, realizado através da desratização, efetuado através da instalação de estações de iscas, conhecidos comumente como porta iscas, tratando se de dispositivos fechados e seguros, contendo iscas raticidas anticoagulantes e nas áreas de risco através de armadilhas atóxicas de captura, podendo utilizar os modelos adesivos ou mecânicos (Gaiolas).

 

Descupinização
O controle de cupins depende da espécie e de suas características biológicas. O primeiro passo para controlar uma infestação é a execução de uma boa inspeção visando, encontrar indícios de atividades de cupins coletar exemplares que permitam identificar os insetos ou detectar sinais que permitam identificar o grupo de insetos responsável pelo problema, e reconhecer as estruturas atacadas, determinar a extensão da infestação e obter outras informações acerca da edificação. De posse das informações levantadas durante a inspeção e cruzando estas informações com aquelas relativas à biologia da espéie infestante, estabelecemos assim a melhor estratégia de controle, podendo ser tratamento através de barreiras químicas, imersão, uso de iscas entre outras.

Expurgo / Fumigação
O expurgo ou fumigação , é a operação que visa à eliminação dos insetos que se encontram nos produtos armazenados ou processados em suas diversas fases de desenvolvimento, procurando atingir uma eficiência de 100% no controle. É feita mediante a colocação de produtos a base de fosfeto de alumínio ou magnésio. Trata se da liberação de um gás extremamente móvel e penetra por todas as partes onde estiver ocorrendo a fumigação. A vedação correta é necessária não só para assegurar o controle total e eficiente de todas as fases do ciclo biológico dos insetos, como também para proteger as pessoas nas vizinhanças do local a ser fumigado.